Nivel dos servicos das companhias aereas… Veja este relato envolvendo a Air France

Um post diferente desta vez … Pense se algum dia voce ja recebeu um tratamento inadequado por parte de uma companhia aerea, como voce se sentiu? Teve vontade de expor a situacao para os amigos de forma que outros nao tenham que passar por semelhante calvario?? … Pois bem, em solidariedade com o amigo Renato (blog coreano, veja link ao lado) estou colocando seu relato neste blog … Cuidado com a Air France!

COMO ESTRAGAR SUAS FÉRIAS BEM NO COMEÇO? VOE DE AIR FRANCE.

Infelizmente, esse não é um post sobre a Coréia. Sei que vocês acessam o blog pra ler sobre a Coréia mas, como cheguei ao Brasil neste sábado de manhã e passei por uma das piores experiências em viagens que já vivenciei, achei por bem relatá-la aqui para que sirva de alerta a outros viajantes. Se você não estiver a fim de ler minha choradeira sobre pagamento indevido de excesso de bagagem, malas que não chegam com você ao destino e, além disso, itens roubados do interior das suas malas, então, não continue. Caso contrário, eis o que aconteceu.

Compramos nossas passagens dessa vez pela Air France. Considerando a gravidez, seria melhor pagar um pouco mais para ter uma viagem mais curta e evitar transtornos. Por “mais curta” entenda-se 27 horas (Seul-Paris-São Paulo) ao invés de 38 horas (o trajeto via Hong Kong e África do Sul). Foi nossa primeira experiência com Air France.

A Selma viajou cerca de 2 semanas antes de mim. No check-in em Seul, o primeiro problema: a passagem indicava claramente que podíamos levar 2 malas com 23kg cada uma. No balcão, a funcionária nos informa que o vôo – compartilhado com a Korean Air – não permitia mais do que 20kg por pessoa. Nossa óbvia reação foi “Ok, mas nossa passagem foi comprada pela Air France, e está claramente mencionado no bilhete que podemos levar as malas, então, vocês se entendam com a Air France“. A Korean Air então explica que não é a primeira vez que isso acontece, é um problema entre Korean Air e Air France, não podem fazer nada, etc. etc. . A única garantia que nos deram é que o valor seria reembolsado. MAS, o princípio está errado. Se pagamos por “X” e nos foi entregue “Y”, o problema é do vendedor em resolver o caso. Porém, após cerca de 1 hora e meia de discussão com o representante da Air France em Seul, fomos forçados a pagar o excesso (algo em torno de US$ 500!), mediante a certeza do reembolso posterior e mediante o risco de ela não embarcar. Obviamente, exigimos uma compensação imediata pelo transtorno e, felizmente, ela conseguiu viajar um trecho em classe executiva.

Interessante notar que ambas as empresas pertencem à alianca “SkyTeam” que, de time não tem nada. Como algo desse tipo pode acontecer? As empresas são parte da mesma “coligação” e não se conversam? Ridículo. E quem toma na cabeça é o cliente, que já não paga barato por uma passagem aérea. Claro que tudo isso foi seguido de uma reclamação formal nos sites das duas empresas.

Bom, essa foi a primeira parte. A segunda parte foi idêntica, mas foi comigo, na última 6a. feira, dia 12. Eu já sabia que ia passar pelo mesmo problema, então fui preparado e evitei muita discussão. Não queria mais dor-de-cabeça, então paguei e agora espero pelo reembolso.

Após todas as 27 horas, chego ao Brasil, sábado, dia 13, 6h da manhã. Aquela área de desembarque insana, chapada de gente, vários vôos ao mesmo tempo, aquelas esteirinhas de bagagem que mal servem para um vôo local, quanto mais internacional. Vou para a esteira designada e fico aguardando as malas. Nada. Após cerca de 20 minutos, meu nome é anunciado nos alto-falantes, o que já não é um bom sinal. Ter seu nome chamado em sistemas de som de lugares públicos está sempre associado com problemas: “o seu filho perdido encontra-se à sua espera”, “seus documentos foram encontrados (o dinheiro não)”…ninguem chama seu nome pra dizer “parabéns, venha retirar seu prêmio”.

Vou ao balcão da Air France e sou informado que minha bagagem não chegou. Ok, não é a primeira vez que isso me acontece. E, das outras vezes, a bagagem chegou intacta no dia seguinte. Mas uma coisa é você ficar sem sua bagagem quando volta pra casa e outra quando não está voltando pra casa. No meu caso, a segunda opção: não teria roupas nem nada para usar, já que estou no Brasil “de passagem”.

Mas, sem problemas. Eu já sabia que, nessas situações, a empresa aérea é obrigada a te compensar. Você tem direito a comprar itens de imediata necessidade (roupas, produtos de toilete, etc.) para passar o dia, e cada empresa te autoriza a gastar um determinado valor. Chequei o valor e fui atrás das coisas. É o mínimo que podem fazer.

Antes disso, perguntei o motivo pelo qual as malas não haviam chegado. Fui informado que houve um problema com o “leitor de código de barras”, e minhas malas não foram colocadas no avião. Interessante: ninguém faz inspeção visual? Na mala vai uma identificação em letras garrafais indicando o destino das malas (GRU = Sao Paulo), ou seja, se o leitor não funciona, ninguém faz mais nada? Alguém mais aí concorda que isso é absurdo?

Enfim, saio do aeroporto frustrado e com a sensação de que comecei com o pé esquerdo…

Dia seguinte, domingo, dia 14. Ligo às 9h para o setor de bagagens da Air France (abria as 9h somente…) e sou informado por uma funcionária (que me atendeu com extrema má vontade) que as malas chegarão durante o dia e não necessariamente pela manhã. “Depende da rota do motorista”, dizem. Pasme. Além de tudo, não sabem o horário? Que beleza de organização dessa Air France

Havia solicitado que entregassem as malas na casa de meus pais. Às 14:30h, aproximadamente, eles me ligam e dizem que as malas chegaram. Vou pra lá, encontro as malas “lacradas” e começo a abrí-las e verificar o conteúdo. E, então, o choque maior: fui roubado.

Além de estarem totalmente reviradas por dentro (e, acreditem: não era um revirado de transporte, simplesmente. Já viajei muito pra reconhecer a diferença entre manuseio de malas e conteúdo fuçado), roubaram os presentes que daríamos para meu afilhado e as outras crianças: 1 boneco, 2 binóculos e 3 relojinhos. Como se não bastasse roubarem o que estava à vista, tiveram a pachorra de abrirem minha necessaire e ainda roubarem meu perfume. Fora o fato de terem quebrado meu barbeador.

Digam: não é um excelente começo de viagem? Ora:

– primeiro, voce paga por algo que não é sua responsabilidade (algo muito proximo de US$ 1.000)

– em seguida, descobre que suas malas não chegaram

– aí, quando elas chegam, descobre que foi roubado

Não é pelo dinheiro. Os itens nem eram tão caros assim. Mas:

– você espera que a companhia aérea (nesse caso, a Air France) garanta o transporte seguro da sua bagagem. E, no fim, você é roubado pois a Air France não cumpriu esse “requisito básico”. Cliente? Que se lasque o cliente…

– eram presentes para crianças! E agora?

Não quero nem entrar no mérito se a Air France vai me ressarcir ou não. É obrigação deles. A questão é: quanto tempo isso vai demorar e se vão me ressarcir de forma que eu possa comprar os presentes novamente aqui no Brasil AO PRECO DO BRASIL, para que eu possa presentear as crianças imediatamente ou se vão vir com um papo-furado que vão me reembolsar o valor pago na Coréia. Não vai me ajudar em nada! Não quero o dinheiro de volta, quero os itens exatamente como eles eram antes. Ponto.

O boneco será relativamente fácil de encontrar aqui (a cerca de 3x o valor que paguei), imagino que os binóculos e os relógios também. Tenho que tê-los nos próximos dias, e não quando estiver de volta à Coréia. E aí, devo nutrir esperanças? Voces leitores me digam. Fora isso, ainda tem o perfume (que é o de menos, pois é para mim apenas, mas quero a compensação devida e correta). E quero resolver isso tudo ainda no Brasil, pois o problema de comunicação na Coréia será maior ainda.

Alguns poderão achar que estou fazendo “tempestade em copo d’água”. Será? Claro, ninguém morreu, ninguém se machucou, não é o fim do mundo. Mas está correto pagar por algo e receber esse tipo de retorno? Afinal de contas, paga-se uma pequena fortuna por uma passagem aérea para o outro lado do mundo e o mínimo que se espera é que tudo corra bem e, em caso de algum inconveniente (ou um absurdo como roubo de bagagem), que você seja IMEDIATAMENTE compensado, ao inves de ter que preencher formulários, aguardar retornos, etc. .

Eu estou extremamente irritado com essa coisa toda. De verdade. Vocês não imaginam o quanto. Se fosse apenas um problema, tudo bem. Mas três ao mesmo tempo, é demais.

Aproveito a oportunidade para pedir aos amigos blogueiros (Bianca, Caurosa, Zero, Denise, Ed, Helder, Gallina, etc.) e jornalistas (Tatiana, Karen) que simpatizarem com minha causa que incluam o texto acima ou o link para esse post nos seus blogs. Se acharem que vale a pena, fiquem à vontade para copiarem o texto inteiro ou partes dele.

Solicitei retorno em 24 horas. O prazo está acabando e estou curioso para saber o que acontecerá. Por enquanto, nenhum contato da Air France.

Aos leitores assíduos do blog, desculpem o post irritado e fora de tema. Espero que, semana que vem, o tom seja um pouco mais agradável.

Renato

 

Anúncios

Uma resposta to “Nivel dos servicos das companhias aereas… Veja este relato envolvendo a Air France”

  1. Renato Says:

    Obrigado, Helder. Em breve colocarei a resposta da Air France no ar. Abraco!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: